Padrões Gráficos

Ombro Cabeça Ombro – Saiba como identificar e tirar proveito

Ombro Cabeça Ombro – Saiba como identificar e tirar proveito



Por: Fabio Pordeus Pedrosa | 15/05/2019

O que é o Ombro Cabeça Ombro?

É um padrão gráfico ou uma figura de reversão que sinaliza a mudança de uma tendência de alta para baixa. Mas como ocorre a formação do padrão? Geralmente o OCO é formado por três topos consecutivos que são separados entre si por dois fundos.



Os topos 1 e 3 destacados na figura costumam ocorrer em uma mesma faixa de preço e são os ombros do padrão. O topo 2 é o mais alto, fica localizado entre os ombros e é conhecido como a cabeça desta figura de reversão.

Os dois fundos são formados em uma mesma faixa de preço, onde é possível traçar uma linha horizontal ou uma linha diagonal com leve inclinação ligando os mesmos. Esta linha é conhecida como linha de pescoço. Funciona como suporte e tem papel fundamental na confirmação do padrão.

Quais são as principais características?

1. Ocorre dentro de uma tendência de alta. Isto significa dizer que topos e fundos ascendentes antecedem a formação do padrão. A cabeça é o último topo ascendente, ou seja, o ponto mais alto da tendência.



2. Projeção – a projeção nada mais é que o objetivo de baixa que o preço pode atingir após romper a linha de pescoço. E como é calculada esta projeção? Simples, basta pegar a altura do do padrão, distância vertical entre o topo mais alto e a linha de pescoço, e projetá-la abaixo da linha de pescoço a partir do ponto onde houve o rompimento.

Mas como ocorre a confirmação desta figura de reversão?

O OCO é confirmado após um fechamento abaixo da linha de suporte que liga os dois fundos. Portanto, a confirmação é dada pelo rompimento da linha de pescoço. Quais são os fatores que aumentam a importância da confirmação do padrão?

1. Um volume acima da média acompanhando o candle responsável pelo rompimento da linha de pescoço. Vale destacar que um volume menor no movimento de alta e maior no movimento de baixa nas formações da cabeça e do ombro direito, é um sinal que aumenta a chance de confirmação do OCO.



2. Um fechamento abaixo da mínima do fundo anterior, localizado entre a cabeça e o ombro direito. Este fator representa a reversão da tendência de alta, visto que agora haverá topos e fundos descendentes.

A ocorrência dos dois fatores apresentados na confirmação do OCO, sinaliza uma chance maior da nova tendência do preço atingir a projeção de queda do padrão.

Exemplo – JBSS3

Vamos ao exemplo prático usando o gráfico diário da JBSS3. Colocarei números nos topos e letras nos fundos para facilitar a explicação no gráfico. Em ordem cronológica temos os topos 1, 2, 3 e 4, bem como os fundos A, B e C.

Até o topo 3 é fácil perceber que havia uma tendência de alta, devido aos topos e fundos ascendentes. Na sequência houve a formação do topo 4 na mesma faixa de preço do topo 2. A partir deste momento ficou bem caracterizado a formação do padrão OCO. O ombro esquerdo está no topo 2, a cabeça no topo 3 e o ombro direito no topo 4.



A linha de pescoço do padrão é traçada ligando os fundos B e C. Qual o candle responsável pelo rompimento da linha e consequentemente pela confirmação do padrão? Correto, o candle destacado pelo ponto D, pois o mesmo possui um fechamento abaixo da linha de pescoço.

Para sabermos o objetivo de queda após o rompimento, projetamos a altura do padrão abaixo da linha de pescoço, a partir do ponto em que houve o rompimento. Observe neste exemplo que a projeção é atingida em um único movimento de baixa.

Alguns analistas costumam realizar operações de venda na confirmação do OCO, ou seja, no fechamento abaixo da linha de pescoço.

 


FONTE: Dolton Vieira - Acesse