Introdução

Índices e ETFs – O que são e como negociá-los

Índices e ETFs – O que são e como negociá-los



Por: Fabio Pordeus Pedrosa | 06/05/2019

O que são os índices da bolsa de valores?

São indicadores que medem o desempenho médio de um grupo de ações. De maneira geral os índices podem representar o comportamento do mercado acionário ou de um determinado setor da economia.

Por exemplo, você já ouviu ou leu algo como: “A bolsa subiu hoje 2%”? Pois é, isto signifca que o Índice Bovespa, também chamado de Ibovespa, subiu hoje 2%.

O Ibovespa (IBOV) é o mais importante indicador de desempenho do mercado de ações brasileiro. Por quê? Porque as ações que fazem parte deste índice são responsáveis por mais de 80% do volume de negócios na bolsa.

Qual a composição de um índice?

Um índice é formado por uma carteira teórica de ações. Por exemplo, o Ibovespa é constituído por mais de 60 ações. A composição de cada índice costuma ser alterada a cada quadrimestre, ou seja, 3 vezes por ano.

Cada ativo tem um peso ou uma participação percentual diferenciada no índice, sendo que os mais negociados possuem um peso maior. Observe por exemplo na figura abaixo a participação da PETR4 e VALE5 no Ibovespa, referente ao período de setembro a dezembro de 2011, comparando com as demais ações listadas.

O peso ou a participação significa a representatividade que um ativo terá em um determinado índice. Por exemplo, suponhamos que a PETR4 tem 10% de participação no Ibovespa. Logo, uma alta de 3% na ação representará positivamente 0,3% no Ibovespa.

Índices BM&FBovespa

Só existe o Índice Bovespa na BM&FBovespa? Não. Há diversos índices na bolsa, cada um com uma composição distinta. Alguns deles são índices setoriais, ou seja, que representam determinados setores da economia. Vamos a alguns exemplos:

1. Índice Financeiro (IFNC) – mede o desempenho das ações de empresas de serviços financeiros, abrangendo previdência, seguros e intermediários. Exemplos de algumas empresas que fazem parte deste índice: Banco Bradesco, BM&FBovespa, Cielo e Porto Seguro.

2. Índice de Energia Elétrica (IEEX) – reflete o comportamento das ações de empresas do setor elétrico. Exemplos de algumas empresas que fazem parte deste índice: Eletrobrás, Cespe e Cemig.

Para conhecer todos os índices disponíveis na bolsa basta acessar o site da BM&FBovespa, menu Mercados > Ações e, em seguida, Índices. Além da lista completa dos índices, você saberá por exemplo qual a composição dos índices e a participação percentual de cada ação.

Como negociar

É possível negociar os índices? Não. Porém é possível negociar ETFs (Exchange Traded Funds). Mas o que é ETF? É um fundo de índice cujas cotas são negociáveis na BM&FBovespa semelhante a uma ação, buscando espelhar a variação e a rentabilidade de um determinado índice.

Desta forma, ao comprar um fundo de índice o investidor aplica ao mesmo tempo em uma carteira de ações de diferentes empresas. Esta é uma maneira simples de diversificar o investimento no mercado de ações utilizando um capital menor.

Como negociar os ETFs na bolsa de valores? Simples, o investidor poderá negociar um fundo de índice através do home broker, procedimento similar à compra ou venda de ações. No entanto, será necessário conhecer os códigos de negociação destes fundos.

Os códigos dos ETFs são compostos por 4 letras maiúsculas seguidas do número 11. As letras geralmente representam o nome do índice em que o fundo está atrelado. Veja alguns exemplos de códigos e os seus respectivos índices de referência destacados na tabela.

Para ver a lista completa e atualizada dos ETFs, basta acessar o site da BM&FBovespa, menu Mercados > Fundos / ETFs.

Comprando um ETF

Existe uma quantidade mínima para comprar um fundo de índice? Sim, no mercado à vista a quantidade mínima é igual a 10 cotas, correspondente a um lote padrão dos ETFs.

E qual o investimento necessário? Dependerá do valor da cota do fundo escolhido no dia da compra. Por exemplo, no dia 1º de agosto de 2011 para comprar 10 cotas de BOVA11 seria necessário desembolsar R$ 574,00, conforme destacado na figura.

Há também a possibilidade de negociar frações de um lote padrão, ou seja, que não seja múltiplo de 10. Por exemplo, comprar 1 a 9 cotas de um determinado ETF. Neste caso, o investidor estará negociando no mercado fracionário.